segunda-feira, 6 de julho de 2009

Leonard Cohen “Suzanne”

Há músicos que nos transmitem momentos únicos.
Rendo-me à riqueza das palavras e sons que tornam as suas músicas geniais.
É difícil não ficar rendido a Cohen.
em>Leonard Norman Cohen nasceu em 1934, Montreal no Canadá.
Foi durante a sua frequência na universidade, que formou uma banda de Country-Music com o nome de Bucksin Boys. Porém, foi a sua paixão pela literatura que lhe conferiu a sua notoriedade, particularmente através da poesia e de livros como “Let Us Compare Mythologies" (1956), "The Spice Box Of Earth" (1961), "Flowers For Hitler" (1964)”, “Parasites of heaven" (1966)”, e através de romances - "The Favorite Game" (1963) e "Beautiful Losers" (1966).
Este reconhecimento é concretizado através do prémio literário McGill em 1956.
Na sua fase estabelecida como escritor, resolve dedicar-se à música e em 1967 lança o seu álbum de estreia intitulado “The Songs of Leonard Cohen”. Este é muito bem recebido pelo público e crítica.
Foram êxitos como “Suzanne”, "So Long, Marianne", "Hey, That's No Way to Say Goodbye" e “The Stranger Song”, que ajudaram Cohen alcançar o seu sucesso. Mas foram os álbuns seguintes – “Songs from a Room” de 1969 e “Songs of Love and Hate” de 1971, que praticamente o projectaram e tornaram-no num musico de culto internacionalmente reconecido.
São clássicos como "Bird on the Wire ", "The Partisan", "Joan of Arc", "Famous Blue Raincoat", que dificilmente se esquece.
Em 1974 produz mais um excelente disco “New Skin for the Old Ceremony”, mas em 1977 “Death of a Ladies' Man” produzido em parceria com Phill Spector talvez tenha sido aquele que menos se afirmou na sua carreira.
Cohen tenta regressar ao seu estilo mais tradicional com “Recent Songs” em 1979, com músicas incríveis.
Só em 1984 regressa com “Various Positions”, que inclui temas como "Dance Me to the End of Love" e “Hallelujah”.
Em 88 lança “I’m your Man”, um álbum muito aclamado e marcado por uma sonoridade diferente e preenchido com músicas como"First We Take Manhattan", "I'm Your Man" e "Take This Waltz".
Em 1992 lança “The Future” e só em 2001 regressa com “Ten New Songs", que continua a incluir a força das suas palavras na sua música eterna.
Em 2008, Leonard Cohen, regressa com uma digressão mundial com o nome de “World Tour 2008-2009”, que passou pelo o nosso país no ano passado e está de volta já no próximo dia 31 de Julho no Pavilhão Atlântico. Obrigatório!!

“Suzanne takes you down
To her place near the river
And she feeds you tea and oranges
And you Know that she will trust you
For you've touched her perfect body
with your mind.”

2 comentários:

paletadesonhos disse...

"tocar o seu corpo perfeito , com a sua mente" ... sedutor demais ...
tem seduzido gerações , com o seu inconformismo , com a pertinência da sua voz

Spark disse...

A sua arte é sem dúvida seduzir! Leonard Cohen dá voz à poesia, que nos faz transmitir momentos inesquecíveis. A sua música é eterna! :)

Beijo