segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Depeche Mode “Policy of Truth”

É já no dia 14 de Novembro que Portugal recebe uma das bandas pioneiras do Synthpop, os Depeche Mode.
Foi um grupo marcante na minha adolescência, por isso os recordo com uma breve biografia.
Provenientes de Inglaterra (Essex), em 1980, a banda era composta por Dave Gahan (vocalista), Martin L. Gore (sintonizadores, guitarra, vocalista), Andrew Fletcher (sintonizadores) e Vince Clarke (sintonizadores), que deixou a banda após o primeiro álbum “Speak & Spell” em 1981.
Vince Clarke formou depois os Yazoo em 1982 com a cantora inglesa Alison Moyet, seguindo depois outros projectos como os The Assembly e os Erasure.
Alan Wilder
entrou assim para lugar de Vince em 82.
“Speak & Spell” foi então o início do sucesso, graças aos singles “Dreaming of Me” e “Just Can't Get Enough” que conquistou um número aceitável de fãs, conseguindo colocar o álbum no 8º lugar do top britânico.
Em 82 conseguiram com “A Broken Frame” ultrapassar o sucesso anterior, “See You”, “The Meaning of Life” e “Leave in Silence”, levam o disco ao 6º lugar do top.
Já com Alan Wilder, lançam em 83 “Construction Time Again” e em 84 “Some Great Reward” que conseguem ampliar o sucesso para os Estados Unidos, Ásia e para o resto da Europa, onde os singles “People are People” e “Master and Servant” tiveram grande influência desse êxito.
A sonoridade começa a ficar mais complexa, mas não perdendo as características da sonoridade da banda com o álbum “Black Celebration” de 86.
Em 87 “Rock for the Masses” é pela primeira vez usada a guitarra como instrumento no álbum e que desde aí foi sempre uma peça fundamental nos restantes registos.
Para muitos “Rock for the Masses” foi considerado uma das obras-primas da banda e acusados de grande inspiração musical.
Com ajuda de Flood na produção, fazem em 89 um dos melhores álbuns de todos os tempos, repleto de grandes clássicos, como “Personal Jesus”, “Policy of Truth”, “Halo”, “Enjoy the Silence” e “World in my Eyes”. “Violator” chegou a vender 8,2 milhões de cópias em todo o mundo.
“Songs of Faith and Devotion” é lançado 93 e o último álbum que Alan Wilder participa, se dedicando apenas ao seu projecto individual Recoil.
Rumor de inúmeros problemas entre os membros da banda, fazia indicar um final, mas não se veio a confirmar com o regresso em 97 com o álbum “Ultra”.
Após algumas compilações, em 2001 estão de regresso com “Exciter”.
Dave Gahan lança o seu primeiro álbum a solo em 2003 intitulado “Paper Monsters”.
“Playing the Angel”
de 2005 foi apresentado com o single “Precious”.
O segundo trabalho de Gahan chega em 2007 com o nome de “Houglass”.
Finalmente em 2009 lançam o que foi para mim a decepção, “Sounds of the Universe”. Mesmo o regresso às raízes electrónicas, faltou algum brilho dos álbuns anteriores. Mas fica o destaque para as músicas “Wrong”, “Fragile Tension”, “Hole To Feed” e “Corrupt”.

É com “Policy of Truth” do álbum “Violator” que aqui recordo. Uma das minhas músicas favoritas.

5 comentários:

paletadesonhos disse...

Vou lá estar ... depois da "retirada" do concerto no Porto.

Tenho dois bilhetes disponíveis , para venda, por desistência de dois elementos do grupo...

São Balcão 1 : 40 €/ cada

email : paletadesonhos@gmail.com

Obrigada Spark pela tua disponibilidade á minha divulgação

Ana Pena disse...

Eu vou!!! Estou com bastantes expectativas!:)

Spark disse...

Ana, acredito que vais passar um excelente momento. Pelo menos no último concerto que tive oportunidade de ver deles n desiludiram, muito pelo contrário. Foi excelente!!

Bj ;)

Ana Pena disse...

E para quando um post sobre o concerto? Foi maravilhoso!! Não foste?

Spark disse...

Ana, fui ao concerto deles em 2006 e deixei passar este ao lado. Claro que não me importava de lá ter estado. Depeche Mode é sempre daquelas bandas obrigatórias a ver.
Mas ainda bem que curtiste! :)

BJ