quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Flash Gordon celebra 75 anos

No dia 7 de Janeiro nasceu uma das figuras mais importantes da ficção científica, Flash Gordon criado por Alex Raymond.
Umberto Eco considerava a obra de Alex Raymond, o Flash Gordon, como uma das dez mais representativas da cultura ocidental - nasceu como resposta ao êxito de Buck Rogers, e inicia-se com uma ameaça de colisão entre a Terra e Mongo, um planeta à deriva, inspirando-se livremente no romance "When Worlds Collide", de P. Wylie e E. Balmer.

A primeira publicação (1934) foi sob forma de vinhetas em as Aventuras de Flash Godon no planeta Mongo, onde era governado o imperador implacável, Ming.

“Flash e a sua (eterna) noiva, a belíssima Dale Arden (por quem muitos suspiraram) seguiam a bordo de um avião que, atingido por um meteorito, caiu junto ao laboratório do sábio (meio louco) Hans Zarkov. Partem então com ele num foguete, apostados em desviar a rota de Mongo, onde acabam por despenhar-se. Perseguidos pelo ditador Ming, (também) apaixonado por Dale, inicia-se então a verdadeira aventura, uma luta pela libertação de um mundo que Raymond, com uma imaginação transbordante, tornou fabuloso com o seu traço fino, detalhado, barroco e hiper-realista, exigente na representação da anatomia humana mas sem limites na recriação das criaturas fantásticas com que o povoou.”

O êxito da BD de Flash Gordon foi enorme, passando para a TV e para o cinema nos meados dos anos 30.Em Portugal, baptizado por Relâmpago ou Roldan, estreou-se em 1946.

No festival de BD da Amadora do ano passado, Flash Gordon foi uma das personagens com maior destaque derivado ao tema central do festival ter sido Tecnologia e Ficção Científica.

9 comentários:

Ritinha disse...

Está na minha lista de coisas para ler no futuro vai para um par de anos. Justamente pelas menções feitas naquele que calha a ser o meu livro preferido, de um tal Umberto Eco ;)

Spark disse...

Fazes bem!! ;)
Já li algumas coisinhas do Flash Gordon e gostei bastante. Acho que vale a pena para quem gosta de BD.

Agora ando a fazer uma revisão aos livros de Miguelanxo Prado. Excelente.

Luis Baptista disse...

Na nossa TV, oficial ou por cabo, alguém se podia lembrar do Flash, mesmo a SIC Radical, no meio de tanto lixo diário, pdiam lembrar dele nestes 75 anos, mas duvido da capacidade deles para isso...

Spark disse...

He He!! :)
Concordo contigo!É por isso que pouco vejo televisão.

Luis Baptista disse...

Vais a STRANGLERS?

Spark disse...

Estou a contar com isso!!

Luis Baptista disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Ritinha disse...

Sortudos --'

Spark disse...

Rita, vem também!! :P

Luis, lá estarei. Abraço.