sexta-feira, 12 de junho de 2009

Harold Lloyd “Never Weaken”

“Never Weaken” é uma curta-metragem de 1921, escrita e dirigida por Sam Taylor e interpretada por Harold Loyd, outro comediante do cinema mudo, que se junta a outros nomes como Charlie Chaplin e Buster Keaton.

Harold Lloyd nasceu nos Estados Unidos em 1893, falecendo em 1971. Mesmo muitos o considerarem mais uma imitação de Chaplin, conseguiu alcançar um grande sucesso pela sua imagem franzina, de óculos e de chapéu de palha. Também tinha uma grande destreza física igualável, tanto ao Chaplin como ao Keaton. O seu filme com maior êxito foi alcançado com “Safety Last” de 1923, onde é conhecida a peripécia de Harold subir um edifício para conseguir entrar pela uma janela e que certa altura para não cair se agarra a um ponteiro do relógio.

Recordo então Harold Lloyd, com “Never Weaken”, aquela que foi a sua última curta-metragem e que foi onde começou a peripécia de estar de fora de um edifício em obras, e que levou depois aperfeiçoar essa emoção no seu filme de maior êxito, “Safety Last”.

Parte 1



Parte 2



Parte 3

5 comentários:

Clara disse...

Muito obrigada pela partilha! Ficarei à espera de um post sobre Buster Keaton. O meu comediante preferido do cinema mudo.

Beijinhos

paletadesonhos disse...

Como é interessante revermos os valores da época ... como a comunicação quase se resumia a meros movimentos coreograficos .
;)

Spark disse...

:)

Clara, já somos dois a partilhar o mesmo gosto acerca do Buster Keaton. Tenho uma grande admiração e fascínio por ele, tanto que tenho praticamente tudo ou quase tudo, sobre a sua filmografia. :)

Podes também conferir alguns posts de curtas que já meti dele.

Bj

Paleta…

O fascínio que tenho pelo cinema mudo é por isso mesmo. A facilidade da mensagem que conseguiam passar cá para fora, apenas com a sua expressão ou sincronização, que praticamente era indispensável o som. Era a arte do silêncio. ;)

Bj

paletadesonhos disse...

silêncio ... quando as palavras não dizem nada e os gestos podem dizer tudo ... um toque leve , entre um sorriso atento

Victor Afonso disse...

Um génio esquecido do cinema burlesco mudo americano.