sexta-feira, 13 de março de 2009

Nosferatu (1922)

Nosferatu (dirigido por Murnau) é sem dúvida uma obra-prima e um clássico dos filmes de terror, juntamente com o “Drácula” do Bela Lugosi de 1931.
Um clássico do Expressionismo, este filme é uma versão não-autorizada do "Drácula" de Bram Stoker e a primeira adaptação da história do conde vampiro para o cinema.

É a primeira vez que aqui apresento um filme de longa-metragem, fugindo um pouco ao tema das curtas-metragens que tenho apresentado, mas acho que é um clássico que deve ser visto, principalmente porque é um filme notável e por ser mudo, percebe-se melhor as emoções e a realidade que Murnau quis transmitir.

Sinopse:

“Knock, um agente imobiliário, recebe um pedido do conde Orlok para comprar uma casa. Este manda o seu empregado, Huttler, viajar até à terra do conde, a Transilvânia, para concretizar o negócio. Orlok não é mais que Nosferatu, um vampiro que faz tudo para conquistar a bela mulher de Huttler que, segundo ele, tem um belo pescoço…”

Queria-vos então proporcionar esta obra-prima dos filmes de terror e que aconselho. Ora vejam…

5 comentários:

roserouge disse...

Engraçado, este filme hoje em dia, só me dá é para rir. Mas imagino o impacto que deve ter tido quando saíu em 1922...

Spark disse...

É um filme mítico que na altura teve mesmo um grande impacto e que nos dias de hoje se vai perdendo, mas que não deixa de ser um clássico.

;)

Luis Baptista disse...

Um clássco, e o que já brincámos à custa destas personagens, muito bom.

A.Caeiro disse...

Muito bom!

roserouge disse...

Ó pequeno, se queres participar na tertúlia de amanhã, tens que te inscrever senão ninguém adivinha. Faz assim: vai lá ao meu blog, no link do lado direito tens lá um chamado "Tertúlia Virtual" e põe lá o teu url e nome de guerra. E o tema é o DESEJO. That's it! Se te apetecer, claro!