segunda-feira, 10 de maio de 2010

Mão Morta “Pesadelo em Peluche”

A comemorar 25 anos de carreira, os Mão Morta estão de regresso com um novo álbum que o intitularam de “Pesadelo em Peluche”. É um grande regresso da banda bracarense às suas origens mais roqueiras e que é para já, na minha opinião, o melhor álbum nacional deste ano. A destacar a música “Como um Vampiro”, que conta com a participação de Fernando Ribeiro. O álbum é inspirado no tortuoso universo de J.G. Ballard, mas nada melhor que Adolfo Luxúria Canibal para explicar “Pesadelo em Peluche”:

“Pesadelo Em Peluche teve como ponto de partida o livro The Atrocity Exhibition (A Feira de Atrocidades), de J. G. Ballard, e a questão aí levantada da nova percepção do real que o panorama mediático e cultural instituído pela moderna comunicação de massas induz no indivíduo. É sobejamente conhecida a anedota do miúdo urbano que se espanta ante a visão de uma galinha viva porque só a figurava depenada e dependurada nos talhos e nos supermercados. Da mesma forma, com o devido reajuste de escala, que traços de personalidade são sulcados no sujeito diariamente exposto às imagens choque de guerras, acidentes, crimes ou catástrofes naturais que enchem os noticiários televisivos, aos paradigmas produzidos pela publicidade na permanente exaltação de objectos quotidianos como o champô, o automóvel, os destinos de férias ou os gadgets tecnológicos, aos mexericos emocionais da vida privada de vedetas televisivas e demais figuras públicas constantemente expostos nas capas das revistas e nos escaparates dos quiosques, aos infindáveis cenários de auto-estradas, engarrafamentos, viadutos, aeroportos e vastos bairros uniformes que lhe marginam as jornadas casa trabalho? Essa matéria visual da cultura mediática e os novos desejos e padrões psíquicos que fomentam constituem o cerne das histórias contidas nas canções e também a premissa para a sua composição, desenvolvida a partir de algumas das matrizes que os últimos 30 anos da história do rock fixaram. Assim, os riffs ou as batidas à maneira de servem para enquadrar narrativas psicóticas onde a pulsão sexual é alimentada por estranhos fetiches e a morte não passa de uma ficção conceptual carregada de encantos obscenos. Como se, perdido o equilíbrio genésico, a vida se transmutasse num perturbante pesadelo de desconcerto numa mente entorpecida pelo peluche do conforto.”

“Pesadelo de Peluche” já está disponível desde 19 de Abril e é a estreia da banda na Universal Music Portugal. Um disco repleto de grandes músicas.

Tracklist:

1. Novelos da Paixão
2. Teoria da Conspiração
3. Paisagens Mentais
4. Biblioteca Espectral
5. Tardes de Inverno
6. Como um Vampiro
7. Penitentes Sofredores
8. O Seio Esquerdo de R.P.
9. Fazer de Morto 10. Metalcarne
11. Estância Balnear
12. Tiago Capitão

Mão Morta “Pesadelo em Peluche” (Universal Music) – 8/10

Para ver e ouvir “Novelos da Paixão”.

9 comentários:

Tulipa disse...

Muito bom! kiss

elsafer disse...

sou suspeita , mas sim , estão actualmente mais perfeitos que nunca .

;)

Manuela Coelho disse...

Um álbum cheio de bom gosto.

joaninha versus escaravelho disse...

Apesar de farta do tema retratado no vídeo, a música e a letra estão excelentes!

Spark disse...

Por acaso acho que é um dos temas mais fraquinhos do álbum. "Teoria da Conspiração", "Como um Vampiro" e "Tiago Capitão" são fenomenais.

;)

joaninha versus escaravelho disse...

Ainda não os ouvi a todos. Tenho que tratar disso. Depois digo-te o que achei. :)

analima disse...

Já comprei,claro! Sem dúvida um regresso fenomenal!

joaninha versus escaravelho disse...

Andei a ouvir o que está disponível na net. Já percebi porque gostas mais da Teoria da Conspiração. ahahah
Não de consegue ficar parada. :)
Também gostei. Das outras não tanto. Mais ou menos... Mas não ouvi tudo. Depois também este comentário era para aparecer ontem e já se perdeu metade do conteúdo no espaço cibernáutico...
Mas não há nada como o "E se depois". :)

liliana_lourenco disse...

Há alguns atrás, quando estava a estudar, vi um concerto dos Mão Morta. :)

Foi o único que vi até hoje, mas gostei muito. Fui com uma amiga minha da Faculdade e lembro-me que nos fartámos de saltar e de dançar. :D

**